Pedro Serrano: Estado de Exceção permanente existe há muito tempo no Brasil


Por: Divulgação de Notícias
Jornal GGN - Autor do livro "Autoritarismo e golpes na América Latina", o jurista Pedro Serrano concedeu uma entrevista ao Diário do Centro do Mundo falando sobre Estado de Exceção no Brasil. Em vídeo, Serrano resgata o contexto histórico e aponta as diversas facetas do regime de exceção permanente, como ocorre nas periferias brasileiras com a intervenção militar.
Para ele, prova de que o Estado de Exceção permanente existe no Brasil há muito anos é que o Judiciário legitima esse regime em casos de assassinatos envolvendo policiais, livrando os agentes de condenações, como se viu com a anulação do julgamento do Carandiru.
Quando não há uma ditadura formal, o que ocorre é uma espécie de "fraude" - um regime que dá aparência de legalidade, mas que adota medidas de exceção e retirada de direitos fundamentais à democracia.
Segundo Serrano, o Estado de Exceção suspende direitos fundamentais por um período e geralmente é deflagrado quando o Estado elege um inimigo para combater com a promessa de estar protegendo a população. Para isso, é necessário manter a atmosfera de normalidade nas instituições.
O caso do impeachment de Dilma Rousseff mostra como esse aspecto foi importante quando o Supremo Tribunal Federal chancelou o "golpe parlamentar" presidindo o julgamento no Senado sem analisar, ainda que informalmente, o mérito do pedido de afastamento.
O jurista disse ainda que a América Latina está marcada por regimes de "aparência democrática" que, no fundo, contrariam frontalmente as constituições dos países.
Assista abaixo:

PATROCINADOR