O  Festival de Leitura Interativa de Mesquita movimentou a cultura no Município da Baixada


Música, leitura e artesanato são opções do Festival que terminou no sábado, com Danilo Caymmi

Vila Olímpica do Município de Mesquita
Os movimentos culturais em Mesquita tem sido constante e vem causando impacto positivo na população. Atrações culturais e educacionais movimentou a Vila Olímpica de Mesquita na sexta-feira, 7. Este foi o segundo dia do Festival de Leitura Interativa Mesquitense, que continuou a todo vapor no município no sábado, levando diversas atividades para o público. A iniciativa é promovida pela Prefeitura de Mesquita, por intermédio da Secretaria de Educação (SEMED), e este ano homenageou o centenário de Dorival Caymmi.

O local foi dividido em vários espaços que ofereceu ao longo do dia shows, oficinas e debates. No espaço Café Literário, uma mesa foi colocada para discussão o tema escolhido foi: “Literatura e Sociedade”. O autor Godofredo de Oliveira Neto participou da conversa e se mostrou muito satisfeito com a oportunidade. “A literatura é o mundo real e trazer para o dia a dia esta questão é fundamental. Confrontar a literatura e as mazelas do mundo contribui para isto”, destacou.

“É muito importante ver que mesmo num espaço urbano é possível essa interação com as crianças”, este foi o sentimento do artista plástico Ivan Cruz, um dos homenageados do Festival, que apresentou trinta e seis brincadeiras retratadas em mini esculturas. O evento contagiou a todos que teve a oportunidade de passar pela Vila e o envolvimento não teve idade. A coordenadora do Espaço Exposição, Rosa Maria Dias, 44 anos, ficou muito emocionada com o que viu. “Eu me lembrei da minha infância. Aprendi a contar pulando amarelinha, sei que é possível aprender brincando”, contou.

O palco Brasilidade recebeu como atração principal o grupo Barbatuques. Quinze integrantes realizaram uma apresentação interativa que animou a platéia. “Sempre mexemos com o público em nossos shows e é muito legal vê-los reagindo”, afirmou a integrante Luciana Astari.

    Os presentes no FLIM também tiveram acesso ao Espaço Oficina, que ofereceu a oportunidade de confeccionar diversos tipos de artigos diferentes. Letícia Constante levou o filho Pedro Lucas, de 5 anos, até o local e não se arrependeu. “Tem muitas atividades para as crianças, ideias legais e as peças são educativas, gostei muito”, disse.

“Estamos fomentando leitura nas crianças”, destacou o secretário de Educação, Rodrigo Rodrigues. As atividades seguiram até às 22h e na sexta  passaram pelo palco principal a banda Forfun e o musical “Deixa Clarear”. 


         No sábado, dia 8, o destaque do festival ficou por conta da apresentação de Danilo Caymmi, filho do homenageado principal, e de Cláudio Nucci. O dia contou ainda com uma apresentação do “Projeto Canta Mesquita”.  Aconteceu também a premiação do concurso “Beleza Brasileira de Mesquita”, o espetáculo “Parem de Falar Mal da Rotina” com Elisa Lucinda.

  
TEXTO: Alan Ferreira
Adaptação: Nelson Ferreira
FOTO: Maicon Ferraz


EM 2015 O COLÉGIO VIVA VERDE ESTARÁ OFERECENDO PARA TODA A POPULAÇÃO QUEIMADENSE E MUNICÍPIOS VIZINHOS, 
ENSINO MÉDIO, COM A MESMA QUALIDADE E COM UMA PROPOSTA DIFERENCIADA.
ENTRE EM CONTATO HOJE MESMO!






PATROCINADOR