PROJETO ARTE E VIDA NO HOSPITAL DA POSSE

Desde o mês passado o Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI/Hospital da Posse) está proporcionando para crianças internadas atividades que estimulam a autoestima e despertam a criatividade. Através do projeto Arte e Vida – realizado uma vez por mês – os pacientes e seus acompanhantes participam de oficinas de reciclagem e artesanato, pintura, atividades recreativas, teatro de fantoche e orientações de prevenção à saúde, além de cuidados com a beleza. As ações acontecem para crianças nas enfermarias da pediatria e também na emergência pediátrica.


O projeto, coordenado pelo setor de Capelania e pela Classe Escolar da unidade, reúne profissionais voluntários em diversas áreas com objetivo de tornar o período de internação mais confortável e humanizado para a criança. A segunda edição aconteceu no dia 19/09.

“Mesmo em um ambiente hospitalar é importante para o paciente, principalmente para as crianças, que haja um acolhimento mais humanizado. Atividades como essa influenciam e auxiliam, inclusive, em uma resposta mais rápida no tratamento médico”, destaca o secretário municipal de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Júnior, ressaltando as ações que estão sendo realizadas pelo prefeito Nelson Bornier na segunda fase do programa Nova Saúde Iguaçu.


“No Hospital da Posse estamos construindo o Centro de Tratamento de AVC e do Idoso e vamos iniciar a ampliação da Sala Vermelha, aumentando o número de leitos. Já inauguramos dez Clínicas da Família, sendo duas com emergência 24hs. Até o final do ano serão 19 com atendimento ambulatorial e mais uma Clínica 24 horas, além da UPA de Comendador Soares inaugurada neste sábado. Nova Iguaçu vive hoje outra realidade na saúde pública, onde a população se sente respeitada”, afirma.



Além das atividades para as crianças, o projeto viabiliza ações para mães e acompanhantes. Enquanto as crianças se divertiam, elas ganham um dia de beleza, com manicure, cabelereiro e limpeza de pele. “Muitas crianças precisam ficar internadas por um longo período até a conclusão do tratamento e com isso, os pais acabam saindo da rotina e permanecem “internados” junto com os filhos. O acolhimento e assistência psicológica são fundamentais para que esses pais possam se sentir seguros e confiantes para continuar apoiando os filhos no tratamento e recuperação”, garante o diretor da unidade, Joé Sestello.

A dona de casa, Isabela da Silva Marques, de 45 anos, aproveitou o evento para cuidar dos cabelos. “Desde que meu filho fraturou o braço, não sei o que é cuidar de mim, fazer o cabelo ou a unha. Tenho ficado com ele todo momento para que se recupere rápido. Poder ver dentro do hospital uma iniciativa como essa, elevou minha autoestima e me deu mais força para cuidar dele”, disse a dona de casa, mãe de Fabrício Marques Brito, de 9 anos, que estava internado há dez dias e já teve alta
Além da pediatria, as ações da Capelania atuam também em outros setores do hospital, levando aos pacientes e seus familiares, apoio psicológico, conforto e fé. “A capelania possui voluntários de todas as religiões. Conseguir o sorriso de uma criança ou adulto em meio a esse momento difícil vivido dentro de um hospital é a maior recompensa que podemos ter”, afirma o pastor Paulo Ogg, um dos voluntários da Igreja Batista.



Blogueira: Juliana Andrade - Face: Juju Tavares
Fonte: HGNI

PATROCINADOR