QUEIMADOS FOI PARA A PRAÇA COMBATER O TABAGISMO

Dos 600 pacientes cadastrados no Programa, mais de 300 conseguiu largar o vício

Para destacar o Dia Nacional de combate ao tabagismo, a Secretaria Municipal de Saúde de Queimados, preparou uma grande ação de saúde na Praça N.ª S.ª da Conceição, uma das mais movimentadas da cidade na manhã desta sexta, 29/08. A ação atraiu mais de 200 pessoas que chegaram por vários motivos, seja para medir a pressão arterial, testar o nível de glicose, marcar um exame ginecológico, ou simplesmente por curiosidade, o fato é que todos estes problemas podem aparecer ou serem agravados por conta do vício.   Destas, 20% se declararam fumantes e aderiram ao programa antitabagismo e já agendaram reuniões de avaliação do nível do vício.


Segundo a coordenadora do programa na cidade, Selma Sardinha, a presença dos programas de saúde ajudou a atrair ainda mais pacientes para o tratamento contra o fumo. “As pessoas não entendem que o cigarro pode agravar outros problemas, inclusive os respiratórios e de pressão arterial, por isto, quase sempre procuram outros programas e não o nosso. Esta ação nos ajudou a conscientizar sobre os perigos do fumo, não somente para si, quanto para toda a família que convive com os agentes químicos da fumaça”, observou Selma. Ainda segundo a coordenadora, dos 600 pacientes cadastrados no Programa, mais de 300 conseguiu largar o vício.


A Secretária de Saúde, Dr.ª Fátima Cristina, também aproveitou para conversar com algumas pacientes e alertar sobre a importância do tratamento e do apoio que a Secretaria oferece aos usuários. “Temos todos os medicamentos gratuitos para disponibilizar e o programa funciona bem no centro da cidade à Av. Irmãos Guinle, Centro, ao lado da Nalin” informou a secretária. Para agendar o tratamento é preciso comparecer com CPF, Identidade, comprovante de residência e o cartão do SUS. As reuniões em grupo acontecem as segundas, quartas, quintas e sextas, de manhã e a tarde.
 Mais informações pelo telefone: (21) 2665-5815.

    Saúde sem fronteiras



Sônia Silva, 29 anos, 6 filhos (13, 11, 10, 07, 06 e 03 anos) moradora da cidade vizinha de Engenheiro Pedreira comemorou a ação na cidade e já se agendou o tratamento. “Não agüento mais a falta de condicionamento físico até para acompanhar a agitação dos meus filhos. Ainda bem que a saúde não tem fronteiras e poderei fazer o tratamento aqui. Fumo desde os 13 anos de idade”, contou Sônia que começou o vício porque via seus irmãos fumarem e chegou a acender os cigarros deles muitas vezes. Ela aconselha aos parentes evitarem este tipo de ação porque podem influenciar novos viciados em cigarro como ela. “Eu não faço isto com os meus filhos e evito até fumar perto deles porque sei que a fumaça também é muito prejudicial”, acrescentou.


Dona Antônia Gomes, 74 anos, mora na divisa com Nova Iguaçu e também já não agüenta mais as tosses constantes que a acordam no meio da noite. “Encontrei no cigarro um amigo contra a ansiedade, mas agora ele se revelou meu pior inimigo e sei que posso melhorar muito a minha qualidade de vida, mas sozinha não vou conseguir”, disse. Ela também se agendou para as reuniões com os psicólogos do Programa.

Blogueira: Juliana Andrade - Face: Juju Tavares
Foto: Luiz Ambrósio

PATROCINADOR